O presidente da Liga Portuguesa de Futebol, Pedro Proença, voltou a exigir o regresso do público aos estádios de futebol.

Numa conferência sobre o impacto da pandemia da covid-19 no futebol nacional, Proença deixou um apelo ao Governo.

«Não colocamos o futebol à frente da saúde pública, mas exigimos o nosso público e digo, com a mesma convicção que o fiz em março, que o campeonato ia regressar, e regressou», declarou.

O líder da Liga diz apoiar a retoma progressiva que está a ser feita no país, mas pede igualdade perante outras áreas da sociedade.

«O nosso aplauso para a forma paulatina como o Governo vai conduzindo o regresso à normalidade, e que não pode ser interrompida por uma abrupta mudança de critérios, quando se fala do futebol. Não iremos admitir um processo discriminatório, os adeptos são o coração desta atividade», defende.

«Também os nossos artistas não vivem sem o calor do seu público e sem o som dos seus aplausos. Com o orgulho do serviço público que prestámos, servimos de montra para as boas práticas no combate à pandemia», finalizou.

  

ausência de adeptos, e com a retração de investimento de patrocinadores e diminuição de receitas de transferências poderá atingir a ‘mágica’ cifra de 350 milhões de euros