O Desportivo de Chaves defronta o Nacional, na 31.ª jornada da Liga, um jogo que pode ser muito importante na luta pela manutenção. Face à proximidade dos dois emblemas na tabela - ambos estão em zona de descida - José Mota considera que esta partida «vale seis pontos».

«Temos de perceber a responsabilidade destes jogos, que frente a adversários diretos valem seis pontos, e tentar que as dificuldades sejam ultrapassadas com tranquilidade e serenidade», referiu o técnico dos transmontanos, em conferência de imprensa.

José Mota assumiu não esperar um jogo tecnicamente evoluído, mas sim «muito disputado e com entrega total dos dois conjuntos». O treinador de 55 anos realçou ainda a vitória alcançada pela sua equipa em Moreira de Cónegos, na ronda anterior.

«A vitória sobre o Moreirense continua a dar-nos a oportunidade de lutar pela manutenção. Percebemos que há outro desafio, muito importante, pois temos um adversário direto que tem as mesmas ambições e objetivos», disse.

Com o Desportivo de Chaves em lugar de descida, José Mota explicou ainda que não «oculta nada» ao grupo de trabalho quanto à responsabilidade dos jogos.

«Procuramos preparar bem a equipa, que o grupo esteja concentrado, que conheça as qualidades do adversário e que perceba que temos de jogar com determinados fatores que são importantes», afirmou antes de garantir que o plantel flaviense está pronto.

«O grupo está preparado e alertado para todos estes momentos que possam acontecer no jogo. Queremos vencer para dar continuidade a estes resultados, após o empate com o Belenenses e a vitória com o Moreirense.»

Desportivo de Chaves e Nacional  defrontam-se o domingo, às 15h00, num encontro que vai ser arbitrado por Luís Godinho, da associação de Évora.