Declarações de José Mota, treinador do Desportivo de Chaves, na sala de imprensa do Estádio do Desportivo das Aves, após o regresso aos triunfos (0-1) do emblema flaviense:

«A segunda parte foi de sofrimento, o futebol tem essa vertente. Percebemos que é defrontámos um adversário que luta até ao final do jogo pelo resultado, mas penso que este resultado assenta bem ao Chaves. Na primeira parte para além de conseguirmos o golo tivemos uma boa oportunidade numa bola no poste e na segunda parte tivemos duas oportunidades do William. Em resumo, penso que as melhores oportunidades pertenceram ao Chaves. Não foi um jogo fácil, nem sempre a qualidade esteve presente, mas foi um jogo competitivo com uma entrega total. Era importante esta vitória, porque nos aproxima deste adversário. Continuamos a lutar por aquilo que ambicionamos: a permanência».

[Regresso às Aves] «É só gente amiga, caras conhecidas, vivi aqui momentos espetaculares mas a viva é mesmo assim. Temos de trabalhar, ser profissionais. É por este clube, o Chaves, que tenho de dar tudo que sei e que posso. Durante a semana os jogadores aplicaram-se, e estiveram concentrados. Quando assim é percebemos que no exame final estamos otimistas. Conseguimos a vitória, uma vitória importantíssima com o apoio dos flavienses».

[Importância de conhecer a equipa adversária] «É sempre importante, sabemos as características dos jogadores e da equipa. Trabalhámos muito nesse sentido, mas é minha obrigação conhecer a equipa do Aves como todas as equipas do campeonato. Temos um conhecimento quase geral das virtudes e dos defeitos desta equipa. Temos de ser uma equipa de campeões, estas fases e estes momentos são para homens de barba rija».