O FC Porto recebe esta segunda-feira o Nacional e Sérgio Conceição avisa para o registo goleador da formação insular nos jogos como visitante.

«Esta é a melhor fase do Nacional, não só em termos de resultados, mas também daquilo que a equipa faz em campo. É a equipa que tem mais golos fora, são 13, a par do Benfica. Isso por si só é sinónimo de uma equipa que vai à procura da baliza adversária», afirmou o treinador Sérgio Conceição na conferência de imprensa de antevisão.

«Nós estamos atentos a isso. Temos de perceber o que temos de fazer para causa mossa e desequilíbrios no último terço para podermos fazer golos. É um jogo difícil, que temos de assumir e ir à procura dos três pontos que é o que interessa», afirmou.

O jogo é também um reencontro de Sérgio Conceição com Costinha, de quem foi companheiro de equipa no FC Porto, quando os dragões foram campeões europeus. «Fico contente. As últimas gerações têm fornecido bons treinadores e bons dirigentes», disse o treinador portista.

«É com grande prazer que vejo isso. Mostra que as últimas gerações não eram só jogadores de grande qualidade, mas também são boas pessoas, pessoas bem formadas, que querem aprender e ficaram ligadas ao futebol. Outros que não foram jogadores de referência também são grandes treinadores, porque ter sido jogador não é sinónimo de ser bom treinador, mas fico contente por ver ex-colegas no banco e a terem sucesso. E que eu os cumprimente no final dos jogos sempre mais feliz do que eles».

Questionado sobre se é mais importante ganhar porque dará a liderança isolada no final da primeira volta independentemente do resultado da visita a Alvalade da próxima jornada, o técnico foi categórico: «É sempre importante vencer. Nós estamos muito focados no que temos que fazer, nos nossos três pontos, no nosso jogo, se isso coincide com aumentar vantagem ou não nos nossos adversários... nós estamos atentos, mas não vivemos em cima disso».

Uma vitória frente ao Nacional permite ainda igualar um recorde que é de Jorge Jesus, de 18 vitórias consecutivas. «Por acaso na extensa entrevista que ele deu, nas várias, agora anda sempre a falar, esqueceu-se desse pormenor. Mas é porque não se lembrou porque é algo importante e dele... Ele normalmente gosta de realçar aquilo que faz de bem... Digo isto com carinho porque tenho um carinho enorme pelo Jorge Jesus», disse apenas o treinador do FC Porto, não querendo, como habitualmente, falar muito sobre esse tipo de recordes.

O treinador foi ainda questionado sobre o facto de a equipa não ter empates esta temporada. «Não me fale nisso», começou por dizer. «Temos ganho... É a conclusão a que chego. Vamos sempre à procura de vitórias, trabalhamos sempre para atingir os três pontos, e conseguimos em algumas situações, depois de termos estado a perder, não só empatar, mas ganhar o jogo. E vamos continuar sempre à procura do golo e procurar não sofrer», afirmou.