Jesualdo Ferreira, treinador do Boavista, anunciou que os seus jogadores estão mais confiantes pelo recente regresso às vitórias na Liga, na véspera da visita ao Vitória de Guimarães, jogo de abertura da 21.ª jornada marcado para esta sexta-feira.

«Estamos a crescer e os resultados têm sido melhores, embora não de acordo com aquilo que esperaria ou que eventualmente mereceríamos. A equipa está mais segura, forte e, acima de tudo, do ponto de vista mental, a acreditar mais naquilo que é capaz de fazer», enquadrou o técnico, em declarações publicadas nas redes sociais do clube portuense.

O triunfo alcançado na última ronda frente ao Moreirense (1-0) permitiu aos «axadrezados» pontuarem pelo segundo jogo seguido no campeonato e obter a primeira vitória caseira desde 2 de novembro de 2020, quando derrotaram o Benfica (3-0), à sexta jornada.

«Este grupo mostra capacidade de apropriação de coisas importantes no plano tático. Apenas têm faltado os resultados que merecemos durante este período de melhores prestações. Muitas vezes, e há alguns exemplos atuais na Liga, parece que esses resultados dão dez pontos à frente do normal desenvolvimento de uma equipa», admitiu.

Com Miguel Reisinho lesionado e Adil Rami ainda em dúvida, Jesualdo Ferreira espera capitalizar em Guimarães a subida dos índices anímicos do Boavista, visíveis na forma como a equipa «entende melhor o jogo e se situa no campo com muito mais equilíbrio».

«O adversário é forte e entendo que, tendo em conta aquilo que fez até agora no plano competitivo, continuará a ser cada vez melhor, mas nós também o seremos. Por isso, vai ser um jogo interessante. Temos respeito pelo Vitória e uma crença em nós próprios de que podemos ir lá discutir o resultado, como temos feito em todos os jogos», apontou.

Os vimaranenses acumularam três empates e duas derrotas nas últimas cinco jornadas, perdendo pujança na corrida pelo acesso às provas europeias, embora o experiente treinador desvalorize o pior momento da época do próximo adversário das panteras.

«O facto de não ter estado ao nível dos primeiros quinze jogos da Liga não significa nada para nós. Não estamos à espera de um Guimarães diferente daquilo que foi nos meses anteriores, mas temos consciência de que essa força do Vitória vai mexer connosco e elevar o nosso foco. Quanto mais forte é o desafio, melhores temos de ser», alertou.

Os dois clubes defrontam-se pela 130.ª ocasião nas provas nacionais e os portuenses procuram terminar uma longa ausência de triunfos em Guimarães, onde venceram pela última vez em abril de 2001 (2-1), a caminho de um inédito título de campeão.

«Lembro-me de muitos jogos entre estes dois clubes do norte do país e do que valia a presença do público nesses jogos, sempre com muito amor e uma profunda paixão. Infelizmente, não teremos isto, mas sim a mesma linha que conduz o Boavista neste momento face àquilo que tem sido o trajeto do Vitória», concluiu Jesualdo Ferreira.