«Falo o que acredito e acredito absolutamente nisso. Mas os caminhos têm muitas curvas; são longos, sofridos, trabalhados», disse o treinador portista: «Há que superar momentos difíceis. Às vezes ganhas, outras não. Às vezes estás na frente da tabela, outra não. Mas acredito plenamente nos meus jogadores e no trabalho que estamos a fazer.

Ainda por comparação com o Sp. Braga, o treinador evitou de resto dizer se espera uma equipa do União muito fechada: «As circunstâncias são diferentes. Vamos encontrar uma equipa que não só defende bem, como sabe contra-atacar. Como aconteceu no jogo deles contra o Belenenses. É uma equipa ordenada, agressiva e bem trabalhada.