Vitaliy Meshkov, o árbitro de baliza que deu ordem a Sergey Karasev para assinalar penálti pela bola que bateu na cara de Jonathan, passou o dia desta quarta-feira fechado uma redoma de proteção pelas autoridades do futebol russo.

Essa garantia foi de resto dada por Valentin Ivanov, presidente da comissão de árbitros do futebol russo, que garantiu ser necessário proteger o homem.

Valentin Ivanov recusou-se de resto a falar com o
Maisfutebol








Confira aqui a análise do ex-árbitro Pedro Henriques à decisão polémica

Uma consulta a jornalistas russos, porém, permite perceber que Vitaliy Meshkov já no passado foi alvo de enorme polémica no futebol russo.

Aconteceu, por exemplo, no fim de um jogo em Krasnodar, entre o Krasnodar e o Spartak Moscovo. Os visitantes venceram por 1-0 e o presidente do Krasnodar perdeu a cabeça: numa mensagem no twitter queixou-se de três penalties não assinalados e apelidou Vitaliy Meshkov de «moscovita nojento».

Meshkov, refira-se, não é bem moscovita. O árbitro de 31 anos é da pequena cidade de Dmitrov, na região de Moscovo, sim, e acumula a arbitragem com a carreira de professor de educação física.

No futebol russo, de resto, teve uma ascenção meteórica: começou por ser árbitro de futsal, depois passou para o futebol, estreou-se na liga russa em 2010 (há quatro anos, portanto, esta é a quinta época de primeira divisão), mas dois anos depois já era internacional.

Na UEFA, porém, não soma o mesmo crédito: já vai na terceira época, mas ainda nunca dirigiu jogos minimamente importantes.

O ponto alto da carreira internacional aconteceu quando foi designado para dirigir um jogo da fase de apuramento para o Mundial 2014 entre a Holanda e a Estónia. De resto soma quatro jogos das pré-eliminatórias da Liga Europa, mais jogos sub-21, sub-19 e UEFA Youth League. Como árbitro principal, é tudo o que tem para mostrar.

Como árbitro de baliza, sim, já tem mais experiência europeia: sobretudo em oito jogos da Liga dos Campeões.

O último foi esta terça-feira, e deixou o Sporting num estado de nervos. Vitaliy Meshkov encontra-se porém protegido e por isso ficou por esclarecer a maior dúvida:

- O que é que o levou a pensar que Jonathan jogou a bola com a mão?