Num dia a notícia, no outro a entrevista exclusiva. Lucas Mineiro, a mais recente contratação da Académica, falou pela primeira vez para um jornal português do sonho de pisar solo europeu e deixar a sua marca num futebol que admira e segue com avidez.

«Acompanho bastante o jogo daí, e o campeonato português em especial. É um estilo muito rápido, muito dinâmico. Penso que me vou dar bem. É uma boa oportunidade para mim, espero dar o meu melhor, conseguir títulos, conquistas, e ajudar a Académica», referiu ao Maisfutebol.

O médio, de 22 anos, confessa não conhecer ninguém no clube e também foi informado por nós que a Briosa ganhou a Taça de Portugal há dois anos. «A sério? Muito bom. Se estou preparado? Estou sempre preparado para os grandes desafios e este será um deles. Estou com a cabeça muito centrada e, com certeza, vai dar tudo certo», prosseguiu.

Mineiro não escondeu a excitação por estar prestes a dar um salto na carreira. «Todo o brasileiro sonha em jogar na Europa e quem disser o contrário, é mentira.Vou realizar o meu sonho e logo para um time grande de Portugal», exaltou.

Já se sabia que o médio, um típico número 8, terá um estilo parecido com o de Ramires, mas o próprio não faz a coisa por menos:

«Sou um volante [médio] mais técnico, que dá mais cadência ao jogo. Gosto de chutar de longe, mas também chego na área com facilidade. Sou também parecido com o Paulinho, do Tottenham.»

Entre as principais referências, o brasileiro tem uma adoração por um antigo médio da seleção francesa. «O meu ídolo é o Zidane. Vejo os vídeos dele desde pequeno. É a minha principal admiração, embora eu seja mais um 8 e ele um 10», finalizou.

Lucas Mineiro, recorde-se, tem um acordo com a Académica para as próximas duas épocas e deverá chegar no decorrer da semana a Coimbra para cumprir testes médicos e assinar contrato. 

Alan Pinheiro, igualmente do Vitória da Bahia, é outro dos elementos que os estudantes têm referenciados. Um guarda-redes e um lateral-esquerdo também deverão chegar do Brasil.

Melhores momentos do novo reforço da Académica: 

Digressão a Angola na forja 

Entretanto, o vice-presidente da Académica, Luís Godinho, encontra-se de visita a Angola, onde aproveitou para conhecer as instalações do ASA, Atlético Sport Aviação de Luanda. Na época de 1966/67, a Académica venceu o ASA por 7-0 e 2-1 para a Taça de Portugal, ano em que viria a chegar à final (derrota diante o V. Setúbal).

No referido encontro foi enaltecido o contributo do ASA nessa brilhante página da História da Briosa e foi ainda assinado um protocolo de colaboração entre ambas a colectividades que poderá culminar com um convite à equipa Coimbra para uma digressão em Angola.