Declarações do treinador do Rio Ave, Miguel Cardoso, na sala de imprensa do Estádio do Dragão, por 2-0, em jogo da 16.ª jornada da I Liga:

«Sei fazer uma análise realista. Sabíamos bem o que podíamos tentar fazer, para que a equipa pudesse mostrar a organização que queremos no futuro. Não se consegue, em três dias, criar uma estabilidade comportamental, principalmente com equipas como o FC Porto. Quando fizemos coisas bem, nesses momentos fomos competentes. Houve momentos em que não conseguimos fazer as coisas tão bem e nesses momentos sofremos mais.»

[Substituições ao longo do jogo:] «Não fizemos experiências, gerimos contextos. Tínhamos um plano, jogadores com algumas condicionantes, que vêm de tempos de paragem grandes, que estão a começar. O Francisco [Geraldes], há dois dias, teve uma pancada no pé e ontem não treinou. No dia anterior, meio treino. A gestão tinha de ser cuidada. O Filipe teve uma paragem… o Carlos Mané vinha de uma paragem, o Ronan está a entrar agora. Há um conjunto de questões que o treinador tem de gerir. Quando vêm de um processo de paragem, o risco de lesão é maior e, a partir dos 65, 70 minutos, a minha preocupação foi: quem é que eu tenho de gerir. Eu quero sair daqui sem perdas para preparar o que vem pela frente. Houve jogadores que entraram e acrescentaram.»

[Matheus Reis de saída para o Sporting:] «Nunca foi apresentado como sendo jogador. Estive em estágio e tudo o que se passou hoje, pedi que não perturbassem a partir de ontem quando entrasse em estágio.»

«Naturalmente que houve aspetos estratégicos aos quais tivemos de estar atentos. Não é igual jogar contra o Marega, o Taremi e jogar contra o Estupiñán do V. Guimarães, por exemplo. Há questões de pormenor muito importantes e não são tão simples. A equipa está em crescimento. Os jogadores falam entre si sobre o que fazem. Isso vai aumentar as ligações entre eles, mas numa base que propomos e trabalhamos. Estamos a fazer caminho. Nenhum maestro consegue fazer um concerto Paganini [ndr: em alusão ao compositor Niccolò Paganini] em três dias.»

[Classificação:] «A diferença pontual para baixo é tão pequena que não dá para ter os pés assentes. Temos de acreditar e o treinador do Rio Ave não tem tempo nem vontade de fazer outra coisa que não ser melhor. O foco é a partir de agora, em função do que vamos propor em cada dia. Amanhã já disse aos adjuntos que quero imagens de cinco, seis questões, para podermos mostrar.»