Ricardo Soares, treinador do Gil Vicente, comentou desta forma o triunfo da sua equipa em Paços de Ferreira, no Estádio Capital do Móvel (0-2):

«Aproveito para dar os parabéns ao Paços de Ferreira e ao seu treinador, que faz um excelentíssimo trabalho. Era uma das equipas que me colava à cadeira, que me dava gosto ver jogar. Hoje o mérito é todo da minha equipa, porque defrontámos um grande rival. A minha equipa tem vindo a jogar um futebol de muita qualidade. Os meus jogadores têm trabalhado de forma exemplar. Não é fácil jogar este futebol na posição em que nos encontrávamos. Não abdicámos do nosso processo e é um orgulho muito grande treinar este grupo.»

A explicação para o crescimento da equipa: «Estávamos a ter um conjunto de jogos muito seguidos e não tínhamos tempo para treinar. Entrei quando o Gil Vicente estava em posição de descida e foi longe na Taça de Portugal. Tivemos falta de treino mas não abdicámos do nosso processo. É muito difícil os jogadores acreditarem nas derrotas, mas sabíamos que com tempo iria dar resultado. A partir do momento em que saímos da Taça de Portugal, a equipa foi crescendo e foi para um nível que nem eu perspetivava. Hoje o Gil Vicente está num nível elevadíssimo.»

Sobre a postura com que se apresenta: «O ar fechado com que entrei aqui esconde uma imensa alegria que trago dentro. Pareço que estou sempre contra o mundo, é uma das coisas que tenho de melhorar, mas sou assim, não é fácil».

A importância dos adeptos: «Esta vitória é para eles e espero que no próximo jogo possam estar no estádio. O futebol sem adeptos não é futebol.»