Os dados estão na introdução ao relatório e contas do clube aprovado na quinta-feira à noite em assembleia-geral de sócios, que decorreu à porta fechada.

 

O documento, aprovado por «unanimidade e aclamação», encontra-se assinado pelo presidente da Direção do clube, João Loureiro, e foi divulgado no Facebook.

 

Um dos dados relevantes é que o Boavista e a sua SAD, que tutela o futebol profissional, pagaram 2.040.000 euros ao Estado para a regularização das suas dívidas. O clube evitou a insolvência através de um PER (Processo Especial de Revitalização) e, segundo relatório e contas, «já pagou um valor global de cerca de 760.000 euros até ao presente momento» por via desse instrumento.

 

Igualmente em situação financeira delicada, a SAD aderiu a um dispositivo similar, o SIREVE (Sistema de Recuperação de Empresas por Via Extrajudicial). De acordo com o relatório, através dele «já pagou também, só ao Estado, até ao momento, um valor global de cerca de 1.280.000 euros» em prestações.

 

«Note-se, então, o grande esforço que tem estado a ser realizado pelo Grupo Boavista ao longo do Mandato da atual Direção para, com muito rigor e contenção nos custos, ir cumprindo (com muito esforço e dificuldades, é certo) dentro dos possíveis com os seus compromissos», refere ainda a introdução ao relatório e contas.

 

O documento acrescenta que o Boavista obteve «resultados positivos de cerca de 11 mil euros» no período referido. «Foi conseguido o equilíbrio, o que é sempre de realçar. Há agora que manter o rumo traçado, sem facilitismos», pode ler-se mais à frente.

 

O Boavista diz que «o valor estimado» do seu património imobiliário e mobiliário (estádio, terrenos adjacentes, concessão do bingo, participação no capital social da SAD, entre outros) se situa «entre 70 e 80 milhões de euros».

 

Acrescenta ter neste momento, «grosso modo, uma situação líquida positiva de entre 25 a 35 milhões de euros», após a redução do passivo através do PER. «Mas tenhamos a noção de que há ainda muito por fazer, conforme aliás previsto no próprio PER, quer através das soluções de viabilidade futura constantes do mesmo ainda por realizar (e constantes do Relatório e Contas aprovado há cerca de um ano), quer da prevista renegociação com os principais credores privados», destaca ainda o mesmo documento.

 

Destaque ainda, no mesmo período, para o «aumento de capital da Boavista SAD», para cerca de 16 milhões de euros, segundo fonte da instituição, «com o reforço da participação do Boavista Futebol Clube, através da conversão de créditos, para quase 55 por cento» daquele.