Figura: Taremi

É, indiscutivelmente, o bombardeiro do Dragão. Além do golo que marcou, o iraniano destacou-se pelo que deu a marcar e pelo que jogou. Taremi anotou um dos golos mais fáceis da carreira a passe de Otávio e serviu Toni Martínez para o 3-0 após ter roubado a bola a Cafú à entrada da área do Belenenses. O atacante persa esteve no melhor que se viu do FC Porto no jogo e quiçá, se tivesse sido mais egoísta em certos momentos, poderia ter acabado o jogo igualada com Pedro Gonçalves e Seferovic no topo da lista de melhores marcadores.


Momento: João Mário acelera, Grujic deixa Belenenses para trás, minuto 28

Confortável no marcador, o FC Porto chegou ao 2-0 aos 28 minutos e praticamente resolveu o encontro. João Mário recebeu na direita, encarou Rúben Lima, ganhou-lhe em velocidade e cruzou rasteiro para o disparo de Grujic na passada. Kritciuk ainda tocou, mas não evitou novo golo portista.


Outros destaques:

João Mário: com o passe para o golo de Grujic esta tarde, o jogador formado no FC Porto já tem mais assistências que Manafá, Zaidu e Nanu na Liga. Os números não enganam e sustentam a ideia de que João Mário poderá tornar-se no lateral de qualidade. Se ofensivamente não sente dificuldades, ainda, de melhorar o aspeto defensivo, o que é absolutamente natural (sentiu dificuldades perante Rúben Lima). Enfim, deixou mais uma vez boas indicações como lateral-direito.

Silvestre Varela: outrora feliz no Dragão, o internacional português viveu um final de tarde frustrante. Varela perdeu incompreensivelmente a bola para Otávio no lance que originou o primeiro golo portista. Tentou redimir-se e esteve perto de o conseguir fazer, mas o remate em «vólei» esbarrou na trave. Caiu de produção com o decorrer dos minutos.

Grujic: prestes a terminar o empréstimo, o sérvio foi titular e marcou no jogo que poderá ter marcado a sua despedida do Dragão. O médio aproveitou um cruzamento atrasado para fazer o 2-0 e praticamente resolver o jogo. Além disso, Grujic mostrou-se seguro com bola e foi importante nas dobras aos colegas, fartando-se de recuperar bolas. Não merecia ter saído lesionado.

Kritciuk: o russo deixou o Dragão com quatro golos sofridos, é um facto. No entanto, é também justo reconhecer que o guarda-redes do Belenenses evitou, pelo menos, mais dois. Kritciuk fez uma defesa fantástica com a luva esquerda um livre de Sérgio Oliveira e uma mancha notável perante Toni Martínez. Fez, no fundo, uma exibição semelhante a tantas outras nesta época.

Toni Martínez: o espanhol está em estado de graça e marcou pelo terceiro jogo seguido. Embora não tenha participado tanto no jogo ofensivo do FC Porto, o avançado soube jogar de costas para a baliza adversário e combinou bem com Taremi e com os médios. Toni Martínez revelou-se letal na única oportunidade de que dispôs e igualou Marega com sete golos na Liga.