Pepa, treinador do Tondela, em declarações na flash interview da Sport Tv, depois da vitória dos beirões frente ao Sporting, em Tondela.

«A chave esteve no grupo de trabalho, que mostrou uma entreajuda tremenda. Este jogo vai ficar nas nossas vidas para sempre porque o que aconteceu aqui foi heroico. Ninguém perdeu a cabeça e era fácil perder porque houve algumas decisões muito complicadas de engolir, mas acreditámos sempre que era possível. Fizemos o nosso jogo, com uma equipa muito solidária. O Sporting tem muita qualidade. Tentámos evitar os cruzamentos ao máximo, ainda que sem Bas Dost, sabíamos que iriam ter um futebol mais rápido e vertical, com muitos homens entre linhas. Tínhamos de ter equipa junta e o desafio que coloquei aos jogadores foi que tivéssemos critério com bola. E tivemos: além dos dois golos tivemos outras oportunidades para marcar. E depois tivemos de saber sofrer.»

[o Tondela ficou reduzido a 10 no início da segunda parte]

«Sim. Foi muito complicado. O Jaquité foi agredido sem bola na primeira parte e depois é fácil metê-lo cá fora no início da segunda. Jogar uma segunda parte inteira em inferioridade é muito complicada, seja contra quem for. Mas os jogadores foram fantásticos.»

[sobre as três vitórias consecutivas]

«Acima de tudo, não podemos esquecer como estávamos há três jornadas. Hoje ganhámos três pontos, mas não ganhámos rigorosamente mais nada. O campeonato é uma maratona. Não eramos os piores quando estávamos com 9 pontos nem agora somos os melhores. Há que ter confiança, acreditar no trabalho, não ficarmos pavões quando ganhamos nem nos escondermos quando as coisas estão a correr mal.»