A notícia foi revelada pelo Jornal de Notícias no sábado e confirmada pelo Maisfutebol.

 

Basicamente, e como foi possível ver num email a que o nosso jornal teve acesso, os empresários oferecem jogadores como Rui Patrício, Cedric Soares, Tobias Figueiredo, Jefferson, William Carvalho, Adrien Silva, Diego Capel, Slimani e Carrillo a uma série de clubes europeus, referindo que estão mandatados para isso.

 

O Sporting nega por completo, e energicamente, ter alguma coisa a ver com estes emails: o clube desmente ter passado procurações para os empresários negociarem os jogadores, referindo que não procura proativamente propostas pelos atletas.

 

De resto, e segundo foi possível saber, o clube admite passar procurações a determinados empresários para vender jogadores com os quais não conta, ou através dos quais quer fazer um bom encaixe, mas serão procurações individuais e não para vários atletas.

 

Ora esta versão foi corroborada por Ricardo Costa, da empresa SuperiorSports, que assina o mail a que o Maisfutebol teve acesso.

 

«Posso garantir que o Sporting nunca me passou nenhuma procuração para negociar jogadores. Esse mail acontece por iniciativa da minha agência, única e exclusivamente.»

 

Ricardo Costa acrescenta que tem boas relações com o Sporting e que procura boas oportunidades de negócio para o clube e para a própria agência.

 

Certo é que o email começa por referir que a agência está mandatada pelo Sporting para negociar vários jogadores.

 

Por outro lado, os representantes oficiais dos jogadores revoltam-se com o que está a acontecer. Garantem que as procurações existem e que há empresários a oferecer William Carvalho, Rui Patrício ou Slimani a clubes como o Colónia, por exemplo. O que na perspetiva dos empresários está a desvalorizar os atletas no mercado europeu.

 

Certo é que no Sporting não há jogadores inegociáveis: desde que claro, pelo valor que considera justo.

 

O Sporting tem urgência em transferir atletas como Diego Capel e André Martins, o primeiro por ser caro e o segundo por estar quase a entrar no último ano de contrato, mas está disponível para ouvir propostas por todos os jogadores do plantel.

 

No futuro, de resto, Cedric e Carrillo podem ganhar também urgência em ser negociados, se continuarem a não chegar a um consenso para renovar. No caso de André Martins, nem sequer há contactos para o fazer.