Luís Castro, treinador do Vitória do Guimarães, na conferência de imprensa após a derrota pela margem miníma com o Belenenses:

«É difícil falar de arbitragem porque não é essa a minha função. Depois de ver o lance [golo invalidado], tenho uma visão diferente da do Artur Soares Dias. Ele diz que tem outra visão do lance e tenho de aceitar.»

«Tivemos mais posse de bola, ganhámos mais duelos, tivemos nove remates dentro da área. Não fomos surpreendidos. Na primeira parte, houve um domínio intenso da nossa parte. Temos uma situação clara do Mattheus, outras do Wakaso e do Guedes, mas o Belenenses fez o golo na única aproximação à nossa baliza. Na segunda parte, mudámos algumas unidades para ir buscar mais espaços que nos aproximassem da baliza. Umas vezes conseguimos, outras não.»

«Fica um jogo amargo, em função do que trabalhámos. Os dados demonstram o que se passou no jogo.»

[Segunda derrota consecutiva] «As derrotas preocupam-nos sempre, assim como tudo o que se vai passando no dia a dia, nos treinos. Sabemos que esta é uma profissão em que as coisas oscilam de forma muito rápida. Nos dois jogos que perdemos, dominámos e criámos mais situações de golo.»