Dérbi separado por dez quilómetros de distância com sete minutos de emoção. No duelo da Cidade Berço Moreirense e V. Guimarães amealharam um ponto cada num jogo muito disputado, muito musculado mas nem sempre bem jogado, em que o V. Guimarães esteve a vencer, mas viu o Moreirense reagir rapidamente à desvantagem (1-1).

Após golear o Belenenses e antes de receber o Arsenal o V. Guimarães pretendia cimentar o bom resultado da época passada e debaixo de um autêntico dilúvio dominou o jogo. Combativo, o Moreirense averbou o terceiro empate consecutivo naquela que foi a sexta jornada consecutiva sem vencer.

Tapsoba adiantou o conjunto de Ivo Vieira no marcador, inevitavelmente na transformação de uma grande penalidade, Steven Vitória redimiu-se do castigo máximo cometido ao empatar o jogo também de bola parada, na sequência de um pontapé de canto. Perde a oportunidade de ultrapassar, à condição, o Sporting o Vitória.

Pouco espaço e muita luta

Num dérbi sem rivalidade vincada mas com índices de competitividade sempre elevados, o encontro desta noite pautou-se pela luta exacerbada pela posse de bola num espaço reduzido. O Vitória teve mais bola e mais iniciativas ofensivas, mas sentiu dificuldades em criar lances de perigo.

Isto porque, tal como é seu apanágio, o Moreirense foi uma equipa compacta e muito organizada na ocupação de espaços e no bloqueio dos caminhos para a sua baliza. O conjunto de Vítor Campelos não se envergonhou de ter uma postura mais subalterna, assumiu-o e depois tentou fazer uso das suas armas.

Tentou sair em contra-ataque o Moreirense e num desses lances até criou perigo, valendo Rochinha a desarmar Bilel, que perdeu demasiado tempo de remate. Ainda assim, foi mais perigoso o Vitória, construiu de forma mais incisiva e pôs Pasinato à prova na primeira metade, como por exemplo num lance em que Bruno Duarte rematou com estrondo de fora da área.

Sete minutos de emoção

Após o intervalo a emoção aumentou consideravelmente, mais que não seja porque as redes abanaram e provocaram a incerteza no marcador. Entrou praticamente a ganhar o Vitória, na transformação de uma grande penalidade-. Steven Vitória travou Bruno Duarte e Tapsoba fez o costume: não desperdiçou.

Teria feito o mais difícil o Vitória, mas a reação do Moreirense à desvantagem foi explosiva. Balanceou-se para o ataque e precisou apenas de sete minutos para igualar o marcador. Golo entre centrais na sequência de um canto. Halliche ganhou no coração da área, Steven Vitória fez a emenda praticamente em cima da linha de golo.

Sete minutos de emoção, voltando-se depois à toada inicial. Mais Vitória mas com dificuldades para criar lances de perigo. André Pereira esteve isolado numa das derradeiras oportunidades do Vitória, mas não conseguiu definir o lance e Pasinato segurou a igualdade. Teve sete minutos de emoção entre o dilúvio o dérbi da Cidade Berço.