As referências ao antigo treinador multiplicam-se depois já no interior do estádio, onde Bob Paisley é figura de cartaz do museu do clube, embora o actual treinador, o espanhol Rafa Benítez, também já conte com um lugar de destaque depois da conquista da última edição da Liga dos Campeões, em Istambul.

Logo à entrada do museu, o adepto é confrontado com as primeiras camisolas do clube, que começaram por ser azuis e brancas, passaram pelas encarnadas com riscas amarelas até se fixarem no histórico vermelho. As quatro primeiras Taças dos Campeões (1976/77, 1977/78, 1980/81 e 1983/84) estão todas alinhadas na mesma vitrine, enquanto a última, de 2005/05, merece ainda um lugar de destaque. São apenas cinco entre dezenas e dezenas de troféus que o clube conquistou ao longo de mais de cem anos de história.

Os adeptos também contam com um espaço reservado no museu, com muitas das faixas históricas que passaram pelo The Kop, a famosa bancada de Anfield, expostas nas paredes. Numa pequena sala também é possível ouvir as gravações dos principais cânticos dos adeptos do Liverpool, muitos dos quais vão, certamente, ouvir-se na próxima quarta-feira. Em plano de destaque está também uma miniatura do primeiro Estádio de Anfield, ainda com o velho The Kop.

Entre muitas relíquias de antigos jogadores e do actual plantel, chama a atenção uma vitrine vazia, com uma pequena folha A4 onde o clube dá conta do «roubo» dos galhardetes dos clubes adversários que Steven Gerrard, capitão do Liverpool, foi recolhendo há um ano na caminhada até à final de Istambul.

O museu não mostra apenas os momentos bons do clube. Em plano de destaque estão também as duas tragédias que assolaram o clube nos anos oitenta - Heysel (1985) e Hillsborough (1989) ¿ com placas de homenagem às vítimas sob a frase emblemática do clube: You ll Never Walk Alone

Clique no link «fotos» ao lado para fazer uma visita guiada ao museu do Liverpool.