A equipa de sub-19 do FC Porto derrotou os nervos e levou a melhor sobre o Lokomotiv Moscovo, um adversário que lhe é claramente inferior, mas que quase aproveitou erros de principiante da equipa liderada por Mário Silva para complicar as contas do apuramento portista.

No final, porém, a vitória por 2-1 além de traduzir a supremacia portista sobre o adversário russo, permite ao FC Porto assumir a liderança do grupo D, com os mesmos pontos que o Lokomotiv. Em caso de vitória nesta terça-feira, porém, o Galatasaray pode chegar também aos sete pontos e até passar para a frente de um grupo muito equilibrado.

Nervos a mais, futebol a menos

A equipa orientada por Mário Silva entrou em jogo a saber que qualquer resultado que não fosse a vitória poderia complicar as contas do apuramento.

E talvez devido a essa pressão, os jovens dragões entraram algo nervosos, situação que foi aproveitada pelo Lokomotiv, que chegava à partida como líder do grupo D desta Youth League.

Logo aos 10 minutos de jogo, depois de ter feito uma falta em zona perigosa para a baliza da sua equipa, o colombiano Torres saltou de braço levantado na barreira e o árbitro da partida não teve dúvidas em assinalar grande penalidade para o conjunto russo.

Na conversão, valeu Meixedo que segurou o remate batido por Suleimanov e também o FC Porto na partida.

Ainda assim, aquilo a que se assistiu nos primeiros 45 minutos não foi bonito. Um jogo de muitos confrontos físicos, muita bola pelo ar e poucas ideias à flor da relva, num tipo de jogo que beneficiava a equipa russa, que foi sempre mais perigosa.

Dragão de cara lavada para a 2ª parte

Numa tarde invernosa de muito vento e chuva no Olival, foi um FC Porto de cara lavada aquele que se apresentou para a 2ª parte.

Mário Silva fez uma alteração ao intervalo, tirando Romário Baró para apostar em Vítor Ferreira, e a equipa portuguesa não demorou a chegar à vantagem.

Livre lateral batido por Paulo Estrela na direita do ataque azul e branco, e o central Levi Faustino a subir à área russa para cabecear para o golo e afastar de vez a pressão.

Em vantagem, os dragõezinhos libertaram-se de amarras, colocaram a bola no chão e o adversário começou a sentir muito mais dificuldades em travar as investidas da equipa portuguesa, que deixou de ter de andar em constantes confrontos físicos, onde tinha clara desvantagem.

E o melhor exemplo disso foi o segundo golo da partida. Takang recuperou uma bola na zona de meio-campo, lançou a corrida de Fábio Silva no corredor esquerdo e o jovem avançado, de 16 anos, assistiu João Mário dentro da área. Na cara do guarda-redes russo, com toda a frieza, João Mário rematou para o golo.

Os golos trouxeram, portanto, ao FC Porto a tranquilidade para mostrar que é bastante superior ao adversário. E foi isso que se viu até bem perto do final da partida... quando voltaram os nervos.

Depois de ter sido herói a abrir o jogo, o guarda-redes Meixedo teve um lapso na abordagem a um cruzamento para a área, defendeu para a frente e permitiu que Lapshov reduzisse a desvantagem em cima dos 90 minutos.

Isso fez com que os quatro minutos do período de compensação tenham sido vividos sobre brasas pelos jovens dragões que, ainda assim, conseguiram segurar a vantagem e subiram à liderança do grupo, com os mesmos sete pontos que o Lokomotiv, ficando agora a aguardar pelo que faz o Galatasaray frente ao Schalke.