De acordo com a TVI 24, as ameaças de morte aumentaram depois da entrevista de Lucílio Baptista à Agência Lusa, na qual admitiu o erro. O efeito da revelação acabou por ser contrário ao que era esperado, gerando uma onda de revolta e ameaças de violência que colocou em causa a segurança do árbitro.

Nesse sentido, o próprio Lucílio Baptista e a Comissão de Arbitragem da Liga consideraram não haver condições para o árbitro se deslocar aos estúdios. Lucílio Baptista já deu conhecimento das ameaças recebidas à Comissão de Arbitragem e espera que sejam averiguadas pelas entidades competentes.