«Quero deixar um apelo: se não querem apoiar para não irem. Se forem é para apoiar e que façam o objectivo de transmitir ânimo e força aos jogadores, para que estes saibam que têm um país que os apoia», afirmou o dirigente esta sexta-feira, citado pela Lusa.

«Não gosto de ouvir olés quando a selecção está a jogar bem e muito menos quando está a jogar mal», prosseguiu: «As pessoas habituaram-se a ter bons espetáculos, mas quando não é tão bom, manifestam-se da pior maneira.»