«Este caso Liedson para nós é um não caso, na medida em que não tem ainda sequer naturalidade portuguesa. Portanto, vamos aguardar tranquilamente o que vai acontecer e iremos tomar as decisões que deveremos tomar», comentou o dirigente, esta segunda-feira, em Viseu.

Gilberto Madail lembrou que «até ao momento não houve manifestações de vontade de ninguém», como aconteceu, por exemplo, com Pepe, que veio de propósito a Lisboa para conversar pessoalmente com o então seleccionador Luiz Felipe Scolari. «Aliás, tivemos algumas, mas os técnicos nacionais consideraram que não era do nosso interesse», contou o dirigente.

«São decisões sensíveis, não são decisões fáceis, mas vamos fazer o melhor que pudermos em termos do futebol português», prometeu Gilberto Madail.