Depois da temporada de estreia no Brasil, que terminou com o Botafogo sensivelmente a meio da tabela do campeonato, o nome de Luís Castro foi associado a outros clubes, como o Corinthians e o Rangers, que já encontraram treinador, bem como o Flamengo, que ao que tudo indica será orientado por Vítor Pereira.

O técnico de 61 anos entende que seja cogitado para trabalhar noutros clubes e assume que tem a ambição de trabalhar noutros países, ainda que garanta compromisso total com o Botafogo.

«É normal, às vezes. Estive sete anos na formação do FC Porto e treinei na Liga dos Campeões e na Liga Europa. Conquistámos títulos na Europa e na Ásia [com o Shakhtar e o Al-Duhail]. Com o Botafogo, fizemos uma temporada muito interessante no primeiro ano de projeto, por isso, é normal que o meu nome seja associado a outros clubes. Mas estou muito focado no meu compromisso com o John Textor e o Botafogo», sublinhou, em entrevista ao The Athletic.

«Não acho que serei um treinador que passa muito tempo nos clubes. Vou desenvolver-me, tenho um leque grande de objetivos a alcançar. Quero trabalhar noutras regiões do mundo, então é normal que esteja numa correria – por causa da minha idade também – mas com consciência profissional», acrescentou.

O Botafogo, refira-se, terminou na 11.ª posição do Brasileirão, a apenas dois pontos das pré-eliminatórias da Libertadores.