Ainda que depois o central francês do FC Porto adote um discurso mais moderado. «O Mundial é um grande evento, e nestas provas não há equipas pequenas. Suíça, Honduras e Equador estarão mais motivadas do que nunca», afirmou à «France Football».

«A Suíça está a crescer. Não se fala muito deles, mas foram cabeças de série, e nós não. Das três equipas é a mais forte. As Honduras não conheço, mas do Equador vi alguns jogos. é uma seleção sul-americana, agressiva e com jogadores tecnicistas, como Valencia. Ficaram à frente do Uruguai na fase de apuramento, o que não é pouco. É preciso respeitar todos os adversários e encarar os jogos com seriedade», analisou Mangala.

Já utilizado por Didier Deschamps na seleção francesa, o central do FC Porto trabalha para ser convocado para o Mundial, embora a concorrência seja elevada. «O treinador fará as suas escolhas, que devemos respeitar, mas claro que quero estar presente. Poucos jogadores têm a oportunidade de disputar um Mundial. Vou trabalhar para isso, mas não nos podemos esquecer que os jogadores que lá estão já demonstraram o seu valor com a camisola da seleção francesa, e eu ainda não fiz nada. O Abidal é muito experiente, o Varane joga no Real Madrid, o Sakho é muito bom jogador, o Koscielny está a fazer uma grande época. Mas estamos em dezembro, falta muito tempo. Veremos», afirmou.