(Manú) Boa tarde! Já cá estou para responder as vossas perguntas. Quando quiserem podem começar. Olá a todos!

Porquê da alcunha Manú?

MANÚ: Foi o meu irmão que em miúdo não conseguia dizer «mano» e dizia «Manú». Ficou assim desde sempre.

Desde quando é que surgiu o gosto pelo futebol?

MANÚ: Desde miúdo quando jogava no Bairro da Bela Vista. Entrava em torneios, jogava com os mais velhos, até que surgiu o convite para ir treinar ao V. Setúbal. Tinha sete anos e fiquei no clube. Comecei na posição de guarda-redes, até que fui a um torneio ao Luxemburgo, era o guarda-redes suplentes e comecei a chorar porque queria jogar. O treinador viu-me a chorar e perguntou-me o que é se passava. Disse-lhe que não queria jogar mais na baliza e queria ser ponta-de-lança. No jogo a seguir meteu-me a ponta-de-lança e marquei cinco golos. Depois disso nunca mais joguei noutra posição.

Qual o conselho que dás aos jovens futebolistas que vão aparecendo agora?

MANÚ: Trabalhar e acreditar que podem ter sucesso, independentemente do sítio onde joguem. Eu cresci num bairro, tive a minha oportunidade de aproveitei.

Achas que a nova geração de jogadores que aí vem (Fábio Paim, Vieirinha) é melhor do que a actual selecção nacional?

MANÚ: Penso que podem vir a ser bons jogadores, mas é tudo também uma questão de terem ou não oportunidade para mostrar o que valem.

Tens alguma superstição em especial?

MANÚ: Não. Nenhuma.

Nunca pensaste em ser outra coisa que não jogador de futebol?

MANÚ: Não. Nunca. Cresci a jogar futebol e sempre me imaginei como tal.

O que achas das novas bolas do Mundial?

MANÚ: Penso que podem ser melhores do que as actuais. Nunca joguei com nenhuma mas penso que nós avançados temos de nos adaptar a ela.

Que tipo de musica ouves? Que tipo de pessoa és fora de campo?

MANÚ: Oiço hip-hop, kizomba.... um pouco de tudo. Sou uma pessoa normal. Gosto de passear, ir ao cinema, estar com amigos... Fazer tudo o que faz um jovem com 23 anos, como eu.

Nunca pensaste em fazer um Site Oficial na Internet?

MANÚ: Já mas nunca tive oportunidade.