«Vamos ter de estar ao mesmo nível. Como grupo ambicioso que somos, queremos sempre mais e não gostamos de não somar pontos. Não somos uma equipa que mude muito os processos», referiu.

«A questão é que, na Amoreira, os adversários têm outra postura, fecham-se mais e torna-se mais difícil para nós. A jogar em casa, o Paços quer ganhar e vai ter de jogar mais aberto.»

O técnico do Estoril adianta de resto que «o Paços de Ferreira precisa de ganhar e parece estar mais pressionado pela posição que ocupa na tabela «», esperando um adversário a jogar melhor do que o último lugar deixa a entender.

«Só depois de o jogo começar é que se vai perceber de que forma é que estão a encarar a partida.»