A Figura: Héldon

O cabo-verdiano está num excelente momento de forma. É certo que é muito displicente no que a defender diz respeito, mas a sua arte no ataque é contagiante. Empurrou a equipa para a frente e abrilhantou a sua exibição com dois golos, levando já oito golos marcados na Liga.

O momento: minuto 87

Já tudo parecia perdido para o Nacional. Reduzido a dez unidades e a perder por duas bolas a uma bem perto do final, os alvi-negros ainda conseguiram ter forças para ir em busca do empate, num lance em que Zainadine, de cabeça, deu a melhor sequência a um cruzamento de Claudemir na ala esquerda.

Outros destaques:

Diego Barcellos: o médio criativo alvi-negro regressou ao onze titular e em boa hora o fez. Para além de ter conseguido um golo, foi estabilizador no meio-campo, passando pelos seus pés algumas das melhores jogadas da equipa.

Zainadine: teve muito trabalho pela frente para segurar o endiabrado Héldon. No entanto, acabou por conseguir uma das melhores exibições da partida, tendo ainda tempo de ir à frente fazer o golo do empate.

Gegé: um autêntico patrão na defesa verde-rubra. Um corte providencial logo no início da partida moralizou-o para uma exibição bastante convincente. O último homem da defensiva da casa conseguiu muitos cortes de grande nível.

João Diogo: enquanto teve força andou sempre entre a defesa e o ataque, ajudando muito Danilo Dias e Héldon, consoante o colega que aparecia na sua ala. Com faltaram as forças remeteu-se mais à defesa, mas sempre sem complicar.