Os insulares foram superiores ao adversário do início ao fim do jogo e o grande aliciante da partida foi mesmo ver por quantos golos de vantagem venciam os madeirenses.

Carlos Carvalhal operou quatro mudanças na equipa em relação ao último jogo com a Académica: Entraram Paulo Jorge, Luís Olim, Fernando e Manú, saíram Briguel, Taka, Rodrigo António e Ytalo, alterações que resultaram em pleno.

A primeira grande oportunidade pertenceu ao Marítimo, aos 14, Manú centrou bem da direita e Miguelito, sozinho na área, atirou por cima. Dois minutos depois, os da casa passaram para a frente do marcador. Manú bateu o canto, a bola bateu na parte de trás da cabeça de Robson e só foi parar ao fundo das redes.

Aos 19 minutos, e ainda mal refeitos do golo sofrido, o Vitória de Setúbal sofria o segundo num curto espaço de tempo e logo com mais um erro dos jogadores sadinos. Desta vez foi o guarda-redes Milojevic, que bateu mal a bola, após um atraso de um colega, mandando-a direitinha para os pés de Baba - que fez o sétimo golo esta época e reforçou o estatuto de melhor marcador da equipa -, não enjeitou a oferta e rematou colocado de pé direito já dentro de área.

Um minuto depois de ter sofrido o segundo, Carlos Cardoso fez entrar Bruno Gama para o lugar de Laionel, mas os resultados práticos da mudança foram nulos.

E foi mesmo o Marítimo que quase reforçava o marcador aos 42 minutos, após novo erro de Milojevic, que saiu-se mal da grande área, deixando a bola em Baba que por pouco não marcou.

A grande oportunidade do Vitória surgiu aos 44. Bruno perdeu a bola, Bruno Gama aproveitou, viu bem a desmarcação de André Marques que, dentro de área rematou forte de pé esquerdo, mas a bola bateu no poste.

Na resposta, o terceiro golo dos da casa. Elias perde a bola em zona perigosa, Marcinho ganha, vê Baba desmarcado na área e... golo. O senegalês fez o segundo da noite num remate bem colocado de pé direito.

Mais do mesmo na segunda parte

No reatamento, mais do mesmo. Ou seja, o Marítimo a atacar e o V. Setúbal a defender. Aos 51, Paulo Jorge cruzou para a cabeça de Baba que atirou por cima. Três minutos depois Zoro agarra Manu à entrada da área, e Bruno marcou o livre ao lado.

O Setúbal quase marcava aos 56, num cruzamento de Leandro Lima que encontrou Bruno Gama sozinho na área, mas este rematou de cabeça, por cima.

O quarto golo foi como que a papel químico do terceiro. Aos 58, Marcinho, num excelente trabalho pela esquerda e grande assistência para Baba, que fez o hat-trick.

Aos 67, Marcinho acabou por ser premiado pela exibição, respondendo afirmativamente a uma grande jogada de Fernando pelo meio. O médio madeirense tirou dois adversários do caminho e passou para Marcinho que rematou bem dentro de área, fazendo o quinto golo do jogo. Aos 80, Ytalo cruza bem pela direita e Robson por pouco não fazia o segundo auto-golo do jogo. A bola acabou por só chegar à linha.

Michel fez o tento de honra para o Vitória de Setúbal no último minuto de compensação num forte remate dentro de área.

O Marítimo fez a exibição da época e ganhou um novo alento na luta por um lugar de acesso à Taça UEFA.