Maisfutebol, 

Contratado a 29 de maio de 2013, Josué regressou ao clube onde se formou com o forte desejo de afirmação. A ligação com o FC Porto prolonga-se até 2017.

«Sabia que um dia ia voltar mas não contava que fosse tão rápido, é um sonho para mim. Sou do Porto do coração. Este clube é ganhador e é isso que eu sou», disse o jogador na apresentação.

O médio conquistou o seu espaço no onze, assumiu-se como um marcador exemplar de grandes penalidades (cinco golos dessa forma) e esteve em 35 jogos do FC Porto ao longo da temporada 2013/14.

Durante esse período, Josué chegou mesmo à seleção nacional, somando quatro internacionalizações. Entretanto, face à chegada de vários reforços para o setor intermediário, Julen Lopetegui acabou por dispensar o português.

Nada está definido nesta altura mas o Eskisehirspor surge como uma hipótese interessante. Curiosamente, o emblema turco já garantiu outro jogador oriundo de um clube grande: Funes Mori foi emprestado pelo Benfica.

O FC Porto tem colocado alguns elementos na Turquia. Djalma está no Konyaspor e Sinan Bolat rumou ao Galatasaray.

Licá e Abdoulaye foram confirmados pelo Rayo Vallecano nesta segunda-feira. Ficam por resolver os casos de Ghilas, Silvestre Varela (pediu para sair) ou Elaquim Mangala, que ainda não foi oficializado pelo Manchester City. A indefinição paira ainda sobre nomes com contrato como Tiago Rodrigues ou Héctor Quiñones.