«Depois de ter um bocado de experiência comecei a jogar em torneios no Luxemburgo durante 2-3 anos. Comecei a treinar cada vez mais para tentar começar a jogar no estrangeiro e tentar ser um dos melhores jogadores do mundo», disse à agência Lusa.

Foi crescendo na atividade e a certa altura já defrontava os melhores jogadores do mundo, como por exemplo o belga Frederic Collignon. Agora manifesta a vontade de somar mais «três campeonatos do mundo de várias mesas internacionais».

Com 11 títulos a nível mundial e 16 vitórias no campeonato luxemburguês, Yannick revelou: «Aos fins-de-semana vou para ao estrangeiro jogar torneios para o ranking mundial, como por exemplo acontece no ténis, que tem o ATP e WTA».

Ainda vê a atividade como «lazer», já que no dia-a-dia mantém o emprego numa empresa de instalação de aquecimento, mas espera por mais.

«Pode ser que daqui a alguns anos seja um desporto conhecido pelo mundo fora para poder ser um desporto profissional. Que seja o meu trabalho profissional daqui a alguns anos».

Entre competições de pares e individuais, o seu palmarés já contempla quatro títulos de campeão na divisão principal do Luxemburgo em equipas, quatro taças no Luxemburgo, também por clubes, dois primeiros lugares na liga dos campeões europeus, um título coletivo na Bélgica (Hasselt) e um outro em França (Evry).