Anrei Silnov, campeão olímpico do salto em altura nos Jogos Olímpicos em 2008, e Natalya Antyukh, medalha de ouro nos 400 metros barreiras em Londres2012, são dois dos quatro atletas russos que estão acusados de doping.

A informação foi avançada pela Unidade de Integridade do Atletismo (IAU), organismo de combate ao doping no atletismo que indicou que os casos fazem parte do famoso relatório McLaren, que denunciou em 2016 a existência de um sistema de doping no desporto russo com o patrocínio do Estado.

Silnov já está retirado e foi vice-presidente da Federação Russa de Atletismo até ao ano passado, altura em que deixou o cargo após ser confrontado com acusações de recurso a doping no passado de atleta.

As acusações seguem agora para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), na Suíça.

Recorde-se que a Rússia foi excluída de várias provas internacionais desde 2015, incluindo mundiais e Jogos Olímpicos de 2016, devido ao referido esquema de doping. Alguns atletas foram autorizados a competir, mas na condição de neutros: ou seja, sem estarem a representar o país.

No início deste mês, a federação de atletismo russa admitiu ter cometido irregularidades, nomeadamente a falsificação de documentos para dar a um atleta um álibi por ter faltado a um teste de controlo antidoping. A federação acusou, porém, responsáveis da direção que supostamente já não fazem parte dos órgãos sociais.