Mas 9 de Maio de 2004 foi também um dia especial para Carlos Secretário. Ao fim de sete épocas seguidas com a camisola «azul e branca» (a que se juntam mais três antes da passagem pelo Real Madrid) o lateral-direito terminava contrato com o clube e fazia o seu último jogo pelo F.C. Porto. José Mourinho não deixou passar o facto em «branco» e deu-lhe a titularidade nessa partida.

Secretário esteve em campo 43 minutos, altura em que o treinador levou a cabo a substituição. Assim que o quarto árbitro levantou a placa dando a indicação para que o defesa saísse e entrasse Maniche, o estádio levantou-se num imenso aplauso de homenagem. Os colegas associaram-se ao momento e carregaram em ombros o colega que se despedia do clube onde alcançou tantas glórias. Mourinho também quis estar presente nessa ocasião tão especial. Desafiando as regras, entrou no relvado e ajudou a levantar o seu jogador. Que sairia do relvado em ombros e sob uma intensa «vénia» do público.

Um momento único e que Secretário nunca esquecerá, mesmo que tenha continuado a jogar futebol no Maia, da Liga de Honra, onde deverá terminar a sua carreira.