Manuel Machado, treinador do Moreirense, em declarações na sala de imprensa, após o empate frente ao Sporting:

«O jogo tem de ser olhado em dois blocos. A nossa estratégia era usar um bloco médio baixo e apostar no contra-ataque. Funcionou muito bem no primeiro tempo. Se algum guarda-redes teve intervenções nesse período foi o do Sporting, do nosso lado foi pacífico. Tivemos um primeiro grande erro da equipa de arbitragem, quando não teve paciência para ver para quem vai a bola num lance em que um jogador nosso ia ficar isolado. No um para um são altas as probabilidades.»

«No segundo tempo, como era previsível contra uma equipa que joga para ser campeã, meteram tudo em campo. Mais um ponta de lança, tentaram depois dar mais consistência ao miolo com o Battaglia. Muito jogo direto e flanqueado. Tentamos sair, conseguimos menos vezes do que no primeiro tempo, mas ainda com alguma frequência. Infelizmente para nós há um erro grosseiro por parte dos árbitros. O campo esteve sempre inclinado. O Piccini projeta claramente o nosso lateral esquerdo, o Rúben Lima. O árbitro transforma um lance que seria uma falta ofensiva num canto do qual resulta o golo.»

«Disse aos jogadores que havia duas equipas virgens em termos de perda de pontos. Disse que esse era um fator no nosso horizonte, poder parar a senda vitoriosa do Sporting. Não conseguimos tanto como desejaríamos, mas é um ponto positivo, na medida que estamos a jogar num quadro de clivagem acentuadíssima.»

«Estes jogos têm sempre características mais especiais. O resultado de Chaves não traduz o que aconteceu. Não houve grande alteração na equipa e nos processos. Houve uma história diferente. Cada jogo tem o seu perfil.»