Nascido a 27 de Junho de 1920 em Santiago do Chile, Riera foi jogador e representou a sua selecção no Mundial de 1950. Chegou a Portugal em 1954/55 para treinar o Belenenses e esteve muito perto do título: terminou em igualdade pontual com o campeão Benfica. Orientou durante mais uma época o clube do Restelo e assumiu depois o cargo de seleccionador chileno. Levou a equipa ao terceiro lugar no Mundial 62, em casa.

Em 62/63, chegou pela primeira vez à Luz. Foi campeão nesse ano, no qual atingiu igualmente a final da Taça dos Campeões Europeus, perdida para o Milan. Deixou o clube, regressou ao seu país e voltou a conquistar o título numa segunda passagem, em 66/67. Também orientou a equipa no início da época 67/68, que culminou com novo título. Mas aí saiu em Dezembro, no meio de polémica, depois de ter denunciado a existência de salários em atraso no clube.

A sua passagem pelo futebol português não ficou por aí. Em 1972/73 orientou o F.C. Porto, em 74/75 fez o pleno dos «grandes» no banco do Sporting.