O antigo central sofria de Alzheimer e foi várias vezes internado desde 2011, altura em que lhe foi diagnosticada a doença.

Hideraldo Luís Bellini entrou para a história do futebol mundial também por ter sido o primeiro a ter o gesto de erguer uma taça e partilhá-la com o público, que permaneceu até hoje.

Apenas sete campeões mundiais de 1958 estão ainda vivos: Zito, Zagallo e Pepe, que repetiram o feito em 62, Pelé, que além de 1962 também venceu em 1970, e Dino Sani, Moacir e Mazzola.