João Moutinho, capitão do Sporting, viu frente ao V. Guimarães o quinto amarelo que o deixa de fora da recepção ao E. Amadora. Como ele, também Derlei vai falhar o jogo da próxima jornada. No final da vitória por 2-1 sobre o V. Guimarães, o médio leonino teve um discurso muito crítico para com o árbitro Bruno Paixão, a quem olhava a caras para dar amarelos:

«Foi uma vitória de sofrimento por tudo o que se passou no jogo, mas pela atitude que tivemos, por aquilo que jogámos, acho que merecemos a vitória. Uma vitória contra tudo e contra todos. Mas isso também nos deu mais união. Toda a gente viu o que se passou no final da primeira parte. Ninguém sabe, e acho que ninguém vai saber, o que se passou para o árbitro assinalar falta no golo anulado ao Carriço. O que se passou hoje é lamentável. Cada vez se protegem mais os árbitros e menos os jogadores.

Eu, por exemplo, vou segunda-feira à Liga ser questionado nem sei porquê, mas não sei o que vai acontecer a pessoas que fazem coisas como esta. Vi hoje o quinto amarelo, vou perder o jogo com o E. Amadora e sinto que olharam a caras para dar o cartão amarelo. Fiz falta e o árbitro não ia dar cartão amarelo. Olhou para mim, viu que era eu, tirou o cartão do bolso e deu-me amarelo.

Eu disse-lhe que ele olhava a caras para mostrar o amarelo. Não sei se o fez de forma deliberada ou se foi mandado por alguém. Há quanto tempo estou para ver um amarelo? Qualquer coisa como 14, 15 ou 16 jogos. Esta noite, por uma falta que era falta, mas apenas isso, mostra-me o amarelo de forma deliberada depois de ver que era eu. Se segunda-feira acontecer alguma coisa na Liga, não será a mim, nem ao treinador, nem aos dirigentes. Toda a gente viu o que se passou hoje.»