O treinador defende que se aceitasse tomar conta da Costa do Marfim, um dos adversários de Portugal na primeira fase do Campeonato do Mundo, podia entrar em choque não só com a Rússia, com quem ainda mantém um vínculo, mas também com a Turquia que o contratou a pensar no próximo campeonato da Europa.

A Turquia já tem, inclusive, previstos três jogos de preparação até finais de Maio com a Irlanda, República Checa e Estados Unidos. «Se tivesse assinado com a Costa do Marfim iria perder esses jogos e, para dizer a verdade, penso que é algo que não devo fazer», escreve Hiddink no «De Telegraaf».