Revelado no futebol europeu pelo modesto VV Venlo da Holanda e potenciado pelo CSKA, Keisuke é um espetáculo. Tem mobilidade, técnica em espaços curtos, velocidade para progredir em espaços mais longos, finta e um remate de meia-distância verdadeiramente notável. Se ele estiver inspirado, talvez o Japão possa fazer algum brilharete num grupo bastante competitivo. Valor não lhe falta, embora chegue a este Mundial sem ter feito uma grande segunda volta ao serviço do Milan (onde esteve emprestado).

Por Francisco Sousa

Todos os textos em Futebol do Mundo