* enviado-especial ao Brasil

Jürgen Klinsmann, selecionador dos Estados Unidos, analisa o empate a duas bolas com Portugal:


[Resultado de conveniência com a Alemanha, como o Áustria-Alemanha de 1982?] «Não somos feitos para empates, a não ser como o de hoje, com incerteza e emoção. Está a falar de um jogo que aconteceu no passado, e que tem a ver com a Alemanha, nada tem a ver com os EUA. Nós fazemos acontecer as coisas, caso contrário o México não estaria aqui no Mundial. Estou bastante confiante que vai haver um bom jogo. O nosso objetivo é fechar com sete pontos, já que deixámos fugir o apuramento imediato. O nosso objetivo é passar, faremos tudo para isso, daremos tudo o que temos, e se virem como a equipa reagiu hoje.»

[E se Löw lhe ligar a dizer para ter calma?] «Não vai haver essa chamada, somos amigos, mas ele faz o seu trabalho e eu faço o meu. Estou certo de que daqui por quatro dias vão ver um bom jogo.»