Derby sem surpresas não é derby. E Manuel Machado e Carlos Carvalhal apostaram em algumas novidades. Mais arrojado o líder alvinegro que apostou em Juliano (chegou a ser dado como dispensável) e Fabiano. Carvalhal recuperou Olberdam (regressa após lesão) e apostou na velocidade de Djalma que apontou o golo da igualdade em Vila do Conde.

Nos primeiros minutos, as duas equipas tentaram acertar as marcações no meio de duas tácticas iguais: 3x5x2. Mas foi o Marítimo que começou melhor e Djalma esteve em destaque mas pela negativa pois desperdiçou duas boas situações. A primeira aos 4 minutos, num remate que Bracalli defendeu. Depois, com a baliza à sua mercê após um excelente trabalho individual de Marcinho, aos 9 minutos, o angolano chutou para as nuvens. Os locais só aos 16 minutos reagiram e com muita timidez. Após um cruzamento de Alonso, Nenê rematou rasteiro mas fraco.

Árbitro lesionado e Juliano marca

E a primeira substituição não foi para nenhuma equipa, mas sim na equipa de arbitragem. Ruben Micael conduzia uma bola e foi contra Olegário Benquerença lesionando-o na coxa direita. Pediu assistência e ainda continuou, acabando por ceder o seu lugar ao madeirense Marco Ferreira (4º árbitro) aos 28 minutos.

Contrariando um pouco o que se passava, os alvinegros chegaram ao golo por intermédio de Juliano aos 20 minutos. Após um bom passe de Alonso, a surpresa no onze de Machado rematou forte e sem hipóteses para Marco à entrada da área.

Até ao intervalo, os maritimistas acusaram um pouco o golo sofrido e só em tempo de descontos é Baba rematou por alto, após um cruzamento de Linden.

Baba empata e Marcinho complica

Estando em desvantagem, Carvalhal abdicou de um central (F. Cardozo) e lançou Manú ao intervalo. Alguns minutos depois retirou Miguelito (lesionado) e fez entrar ¿Taka¿. E aos 54 minutos, após um livre de Bruno, Olberdan falhou o desvio à boca da baliza.

A resposta dos nacionalistas surgiu aos 60 e até deu a ilusão aos jovens adeptos do Nacional que gritaram golo ao remate de Fabiano.

E aos 67 minutos os homens de Carvalhal conseguiram a igualdade num belo golo de Baba que rematou de primeira após um bom cruzamento de Paulo Jorge na direita. Estava feita alguma justiça no marcador.

Quando a partida estava equilibrada, Marcinho resolveu complicar. Primeiro viu um amarelo por pontapear a bola quando já tinha sido assinalada um falta e depois teve uma entrada sobre Nené e viu o segundo amarelo, reduzindo a sua equipa a dez elementos.

Com mais um jogador, Machado lançou Cop. Mas seria Cléber a por Marcos à prova num excelente remate aos 79 minutos, que o guarda-redes verde-rubro. Contra dez jogadores, os homens de Machado não tiveram arte para passar o «autocarro» maritimista que estacionou bem na sua zona defensiva. Assim, o empate acaba por se aceitar num derby que não teve muito interesse e, acima de tudo, pouco futebol.