Alonso complicou

O defesa brasileiro estava a ser pedra importante na melhoria do Nacional na segunda parte. Mas de forma infantil, pois já tinha cometido uma grande penalidade na primeira parte, tentou travar um lançamento de João Pereira e viu um segundo cartão amarelo. Uma tarde infeliz para o «rei das assistências».

Bracalli evitou derrota

O guarda-redes do nacional voltou a demonstrar o porquê de ser um dos melhores da I Liga. Após a expulsão de Alonso, o brasileiro brilhou e evitou a derrota da sua equipa. Rentería, Alan e Vandinho que o digam.

Nené continua a facturar

Uma vez mais a veia de goleador de Nené marcou presença na Choupana confirmando o porquê de ser o melhor marcador desta Liga. Apontou mais um grande golo de livre directo e que valeu a igualdade à sua equipa e a defesa da quarta posição. Depois, na hora de defender, deu uma preciosa ajuda.

Alan foi o quebra-cabeças

Foi sobre ele que Alonso cometeu a grande penalidade. Alan foi sempre um quebra-cabeças para a defesa alvinegra, não só pela sua velocidade como pelas suas qualidades técnicas. Só não foi feliz no remate, pois, nesse capítulo, Bracalli levou a melhor.

Luís Aguiar, o dinamizador

Foi seu o golo de grande de penalidade. Depois tentou sempre empurrar a sua equipa para a frente e foram suas algumas das melhores jogadas e alguns dos melhores passes. E ainda tentou a sua sorte nos remates meia distância mas pela frente estava um guarda-redes inspirado.