Mais um empurrão para o sucesso na África do Sul. A cidade da Covilhã saiu em peso à rua e juntou-se junto à Câmara Municipal, onde a Selecção Nacional foi recebida. A cerimónia teve como pontos altos o desfile dos jogadores numa passarela improvisada e o hino nacional português.

O grupo de Carlos Queiroz recebeu o prémio de «equipa do ano» pela Associação de Jornalistas de Desporto (CNID) e Gilberto Madaíl recebeu a Medalha de Cidadão Honorário da cidade da Covilhã. Foi a primeira vez que o galardão foi atribuído e a decisão foi tomada por unanimidade.

Gilberto Madail manifestou o desejo de «voltar à Covilhã no final do Mundial, para agradecer o carinho de todos». O presidente da Federação Portuguesa de Futebol manifestou, ainda, «fé e confiança» no seleccionador e no grupo, lembrando que a vontade dos jogadores é «tão grande ou maior» que a sua, em «levar bem alto o nome dos portugueses».

«Estou convencido de que Portugal vai surpreender os críticos»

Carlos Pinto, presidente da Câmara da Covilhã, também usou da palavra para dar conta da satisfação por receber a comitiva lusa na sua cidade.

«Ainda não partiram e já estamos cheios de saudades. Foi uma grande satisfação para a cidade, concelho e região ter cá a selecção», afirmou.

Antes de oferecer uma tela da Covilhã a Gilberto Madaíl, ainda expressou o seu «feeling», como fez questão de afirmar: «Estou convencido que vão surpreender os que têm sido críticos. Acredito que vão fazer um grande campeonato e daqui a umas semanas vão estar todos os parabéns. Espero que não haja equipas capazes de fazer resistência aos campeões de Portugal.»