No dia em que inaugurou uma escultura (uma chama) oferecida pela Câmara Municipal do Funchal, numa rotunda de acesso ao Estádio da Madeira, o presidente do Nacional Rui Alves confirmou já ter falado com o empresário de Rafael Bastos de forma a que o avançado possa ser negociado nesta reabertura do mercado, provavelmente através de um empréstimo, pois os madeirenses investiram algum dinheiro na vinda deste ex:Belenenses que era tido como uma mais valia. Só que até ao momento ainda não confirmou as suas credenciais, tendo mesmo ficado de fora dos convocados para o embate desta tarde frente ao Trofense.
«É verdade que já falamos com o seu empresário e o Rafael Bastos não está a confirmar as expectativas que depositámos nele em termos de produção. Assim, a sua saída deve acontecer já na reabertura, provavelmente por empréstimo», disse o líder alvinegro, confirmando também que em termos de aquisições, «Fellype Gabriel e Fábio Coentrão são duas boas possibilidades». Questionado se o regresso de Fellype Gabriel poderia ser complicado face ao mercado que o jogador tem e os valores em causa, Rui Alves apenas referiu que «já estamos a conversar com o seu empresário».
Dois dos reforços para a presente temporada que também ainda não conseguiram convencer o treinador nacionalista são Juliano e Cedrola. Estes dois jovens brasileiros, um central e um médio esquerdo, devem também ter os seus dias contados na Choupana. Segundo o presidente do clube, «os dois devem sem emprestados a clubes no Brasil».
Rui Alves admitiu também a existência de um diferendo com o São João Araras do Brasil, tudo por causa da transferência de Juliano Spadacio para o Rapid de Bucareste. «É verdade que devemos um pouco mais de 100 mil euros, mas eles pedem um valor diferente», disse embora negando que tenha conhecimento de uma queixa feita à FIFA pelo clube brasileiro. «O que é que o Nacional tem duas queixas na FIFA, uma contra o Ipatinga relativamente à venda de Luisinho e outra contra o CSKA de Sófia, por causa do Chilikov. Nesses dois processos teremos a receber cerca de 400 mil euros», concluiu.