André Pinto

Está para nascer o futebolista que nunca sonhou com um momento destes: bola no ar, bicicleta e pé na bola, de primeira; golo! O brasileiro marcou um golo de antologia, daqueles que ficam na memória de quem viu. Não tivesse feito mais nada (lutou, ganhou um ou outro lance de cabeça), e já merecia o destaque no encontro. Golaço!

Dedé

Esteve em todo o lado este «Palanca Negra» gigante. Foi à luta com o meio-campo contrário e, quase sozinho, chegou para todos. Pelo ar, intransponível, pelo chão, decidido e certeiro quando em posse de bola. Grande exibição sempre perto das área. Ou seja, defendeu muito bem (é só ver as recuperações de bola), atacou de forma surpreendente e foi um dos desequilibradores do encontro.

Cristiano

Regressou à titularidade na Liga, depois de ter sido suplente em Alvalade. Pelos cânticos dos adeptos, repara-se que é um jogador especial no Paços; pelo que mostra em campo entende-se o porquê. Mais uma vez colado à esquerda, não encheu o olho como noutros dias/noites, mas foi preocupando Laranjeiro até ao penalty final, que fez com que Pedrinha fixasse o marcador nos 3-0.

Braga

Como ele parece estar a equipa. Depois de um início de época impressionante, a merecer vários títulos e notas altas, está, aos poucos, a perder fulgor. Demasiado escondido da partida, teve ocasião para fazer o 1-0 no primeiro tempo. Só que este Braga não é o mesmo da volta inicial da Liga e, por isso, atirou ao lado. Está a precisar de um golo para renascer.