«A partida tem características das competições europeias - duas mãos, golos fora - e todas essas questões têm de ser tomadas em conta. No plano teórico, o Nacional tem algum favoritismo, mas o que conta é o que se passa, depois, na prática», considerou o treinador, citado pela Agência Lusa.

«O nosso grande objectivo passa sempre pelo campeonato, mas temos esse sonho lindo de poder chegar mais além na Taça», reiterou Paulo Sérgio, que já estudou a lição sobre o adversário: «É uma equipa que tem feito uma grande campanha e que irá jogar no nosso erro, tentando não sofrer golos.»

O técnico da formação pacense garantiu, também, que não vai dedicar «atenção especial» a Nené, o melhor marcador do campeonato, apesar de reconhecer que não sofrer golos «é muito importante», atendendo ao modelo das meias-finais.

«O resultado do sorteio ditou as coisas desta forma, o que tem vantagens e desvantagens. Vamos é tentar diminuir o peso de jogar a segunda mão», concluiu Paulo Sérgio.