Roberto

Três jogos, três golos. O Vitória encontrou o goleador que precisava, mesmo que os tentos tenham sabor diferente. Depois de triunfo sobre o Benfica, na Luz, e derrota com o F.C. Porto, em casa, Roberto garantiu um ponto, na Mata Real. Está em grande momento.

Nilson

Três defesas vistosas entre o minuto quatro e cinco, em lances consecutivos. A bola andou mito perto de entrar na baliza vimaranense, mas Nilson respondeu bem a uma cabeçada de Danielson, com uma estirada a fazer a bola passar por cima da barra. No canto, aplicou-se de novo, primeiro a remate de Ferreira, depois de na recarga de Rui Miguel. Três intervenções que ao intervalo valiam um ponto. O mesmo que o Vitória levou para casa.

Nuno Assis

Outro jogo em bom nível do dez do Vitória. Influente no jogo da equipa, foi quem tratou a bola mais vezes pelo chão e sempre a colocá-la jogável para os companheiros. Até os calcanhares», que já são imagem de marca, lhe saíram todos bem no encontro. Depois, no lance do 1-0, descobriu Marquinho com um belo passe. Aliás, se houvesse golo do Vitória na Mata Real, era quase certo que Assis tinha de estar na jogada. Ainda tentou o golo, com uma jogada individual aos 74 minutos, mas Cássio negou-lhe os festejos.

Cristiano

Sempre muito activo na ala esquerda, tentou várias vezes o remate. Não esteve ao nível habitual, mas foi dos melhores do Paços, sempre em combinações com Rui Miguel e Ferreira. Fez o 1-1 num pontapé livre directo. Coroou a melhor exibição pacense.

Leandro Tatu

Irritou os adeptos da casa. Teve bons lances, desequilibrou uma ou outra vez, mas depois perdeu-se em fintas quando era preciso correr atrás do resultado.