«Vamos recorrer da decisão para que seja retirado o castigo, pois entendemos que o acto do Pedrinha não é agressão, nem sequer tentativa. Se o árbitro tivesse mostrado amarelo já não havia sumaríssimo. Como não o fez, leva dois jogos», disse o presidente do clube, Fernando Sequeira, «desolado» com a situação, em declarações à Agência Lusa, esta quarta-feira.

O dirigente lembrou, também, que no mesmo jogo «Marco Caneira deu uma sapatada, um empurrão e não levou nada», além «da espera de Derlei ao Ricardo».

O P. Ferreira tem 48 horas para pedir prosseguimento do processo e apresentar a defesa de Pedrinha. A contestação tem efeitos suspensivos sobre o castigo, pelo que o médio e capitão de equipa deve poder defrontar o Leixões, sexta-feira, na Mata Real, no encontro inaugural da 22ª jornada.