O jogo que se esperava que fosse uma festa… foi isso mesmo.

E com tudo aquilo que os espectadores queriam ver: golos de Messi e Cristiano Ronaldo, naquele que pode ter sido um dos últimos confrontos entre os dois jogadores que marcaram o futebol na última década e meia.

E deu ainda para Mbappé marcar também – e fazer duas assistências -, para Neymar falhar um penálti e o Paris Saint-Germain golear por 5-3 uma seleção de jogadores dos dois maiores clubes sauditas, o Al Nassr e o Al Hillal… mesmo jogando 50 minutos com menos um jogador.

Com Ronaldo como capitão do conjunto saudita e Renato Sanches no onze dos parisienses, o jogo começou praticamente com o golo de Messi, após assistência de Neymar.

Aos 26 minutos, Mbappé viu um golo ser-lhe anulado por fora de jogo, e aos 32 Navas calculou mal uma saída e em vez de socar a bola… acertou na cara de Ronaldo.

Apesar de ter ficado visivelmente atordoado, o português assumiu a marcação do penálti e não falhou, fazendo o empate, e provocando o primeiro «SIIIIU!» na Arábia Saudita.

Aos 40m, Bernat foi expulso por derrubar um adversário que se isolava, mas mesmo assim, foi o PSG a voltar à vantagem, com Marquinhos a marcar após assistência de Mbappé.

Já nos descontos da primeira parte, Neymar desperdiçou um penálti, e Cristiano Ronaldo bisou, num lance em que começou por cabecear ao poste para depois marcar na recarga.

A abrir o segundo tempo, houve mais três golos.

Aos 54m, nova jogada individual de Mbappé e assistência para Sergio Ramos fazer o 3-2. Três minutos depois, Jang Hyun-Soo empatou de cabeça e aos 59m, Mbappé marcou de penálti.

E depois de sete golos, as «estrelas» deixaram o relvado quase todos ao mesmo tempo, logo após o minuto 60.

Ronaldo saiu no lado saudita, Messi, Neymar e Mbappé seguiram o português nos parisienses.

Nessa altura entraram em campo Nuno Mendes, Danilo e Vitinha, além de outros dois nomes bem conhecidos do futebol português: Carrillo e Matheus Pereira.

Na última meia-hora houve ainda tempo para mais dois golos, o do PSG apontado por Ekitiké, e o da equipa saudita marcado pelo ex-Benfica Anderson Talisca.