Paulo Bento, treinador do Sporting, comentando na flash interview da SportTV a vitória sobre o Leixões:

«Saio satisfeito porque conseguimos um bom resultado, que me parece justo. Realizámos uma boa exibição, com excepção dos minutos iniciais da segunda parte, por mérito do Leixões e dificuldades em levar a bola. Faltou-nos definir melhor na zona de finalização e não tivemos capacidade para fazer o segundo golo em algumas ocasiões. Mas defensivamente estivemos muito bem, não me lembro de uma situação de perigo do nosso adversário. Controlámos, soubemos sofrer, e superar os problemas que aconteceram antes, mas também durante o jogo, com duas substituições forçadas em 45 minutos. Não serve de desculpa, mas não sei se o quarteto do meio-campo que acabou o jogo chegaria a somar 85 anos. E hoje isso não se notou.»

Acerca das lesões de Rochemback e Romagnoli, a juntar às de Izmailov e Vukcevic:

«Logicamente que as lesões preocupam, num momento em que se está a decidir muita coisa no campeonato. Possivelmente, a lesão de Rochemback será mais grave, vamos ver o que nos reservam os próximos dias e depois tentar recuperar o Izmailov o mais rápido possível para o próximo jogo.»

José Mota: «Toda a gente viu o penalty»

José Mota, treinador do Leixões, explicando na SportTV a conversa que teve com o árbitro Pedro Proença no final da partida:

«Disse ao árbitro que não precisava de ver as imagens na TV para saber que o lance com Abel era penalty, toda a gente no estádio viu, nós no banco também. É assim que se fazem os grandes resultados. Nos últimos jogos tivemos três penalties contra nós, e vários lances que não foram assinalados. Gostava de falar só do jogo, mas a sua pergunta foi sobre a arbitragem e esta é também a convicção do público em geral: mais uma vez em situação de dúvida foram prejudicados os mais pequenos. O nosso futebol está um pouco intranquilo e isto ajuda a perceber porquê.»

Falando especificamente sobre o jogo:

«Tivemos 10 ou 15 minutos em que entrámos bem. Após o golo tivemos alguma desorientação e o Sporting foi mais forte, acusámos houve uma falha colectiva que não devia ter acontecido. Depois reencontrámo-nos, fomos mais convictos, e é verdade que não tivemos grandes oportunidades, à excepção do penalty que poderia ter dado outro resultado.»