Paulo Ferreira, lateral do Chelsea e da selecção de Portugal, fala sobre o regresso de José Mourinho a Stamford Bridge, na próxima semana. Em entrevista ao Maisfutebol, no estádio que vai acolher o escaldante duelo da Liga dos Campeões, o jogador garante que a sua equipa está farta de ficar a um pequeno passo do título europeu:

Este regresso de Mourinho será especial para o Chelsea e os seus jogadores?

«Claro, será sem dúvida um jogo especial. Será a primeira vez que ele regressa, neste caso como adversário. Vai ser um bom jogo, esperemos que o Chelsea vença, mas acredito que ele terá uma boa recepção. As pessoas aqui não o esqueceram, todos quer ver o regresso de Mourinho. Vai ser um jogo difícil, estamos em desvantagem mas jogamos em casa. O Mourinho conhece bem a maioria dos nossos jogadores, mas queremos dar a volta à eliminatória e seguir em frente.»

O Chelsea e Inglaterra tem saudades de Mourinho?

«Foi um treinador que deixou aqui a sua marca, o Chelsea não vencia um título há 50 anos. Ele chegou e ganhou. As pessoas não esquecem isso. Ancelotti espera também conquistar títulos, nós torcemos por isso. De qualquer forma, os adeptos não irão esquecer Mourinho, o que ele fez. Eu sei que ele deixou saudades, sobretudo nos jornalistas, que adoravam ter sempre ali um bom título, as conferências únicas. Parece que estão desejosos de o ver de novo em Inglaterra.»

Como seria ver Mourinho noutro clube em Inglaterra?

«Para os adeptos do Chelsea, iria ser sem dúvida muito complicado. Mas o futebol é assim, teremos de esperar para ver.»

Para si também será especial, este reencontro?

«Sem dúvida. Foi um treinador que me marcou bastante, que me trouxe para Inglaterra, onde me tornei mais conhecido. Não me posso esquecer disso. Na primeira mão, não tive oportunidade de ir Milão. Agora aguardo por vê-lo cá, cumprimentá-lo.»

Este Chelsea também aposta muito na Liga dos Campeões

«Sim, vou fazer seis anos de clube e já estivemos algumas vezes quase, quase na final. Vários jogadores têm este tempo de casa e sentem que esse é um título que está a faltar a este clube. O Chelsea já venceu campeonatos, taças em Inglaterra, mas a Liga dos Campeões seria muito importante. Eu já a venci pelo Porto, mas queria fazê-lo de novo.»

Esse núcleo duro do plantel do Chelsea sente que o tempo está a acabar?

«Exactamente. Todos os anos, estamos ali no quase, quase, falta sempre um bocadinho. Os anos vão passando e alguns jogadores começam a pensar se ainda terão tempo de o conseguir, vencer uma Liga dos Campeões. Os mais antigos entram na casa dos 30 e interrogam-se sobre isso.»

Os adeptos já perceberam a importância da Liga dos Campeões?

«Agora, já. Lembro-me que, quando cheguei, ainda se viam clareiras no estádio, em jogos da Champions. Depois, essa realidade começou a mudar. Talvez fosse uma questão de cultura, até dos horários, porque aqui os adeptos estão habituados a jogos à tarde. Agora eles já enchem o estádio, sabem que é uma competição bonita e querem ver o Chelsea a vencê-la. Espero que seja este ano.»

Leia, ao longo desta sexta-feira, o que Paulo Ferreira tem a dizer sobre a sua carreira no Chelsea, o sonho de conquistar um título pela selecção, o F.C. Porto, Fucile e o Benfica de Jorge Jesus. Ainda, a hipótese de Portugal com bigodes no Mundial.