O treinador do Paços de Ferreira, Paulo Sérgio, congratulou-se com a vitória desta tarde contra o Nacional da Madeira, por 2-3, que colocou a sua equipa na final da Taça de Portugal. Em declarações à TVI, o técnico admitiu, porém, dificuldades em bater os homens da Choupana:

«Tínhamos uma missão que era vencer a partida, ou então conseguir um empate por três bolas ou superior. Queria ressalvar que a equipa fez uma grande partida, com muitas dificuldades. Perdemos o Dedê, penso que com uma fractura ou uma luxação e tivemos de substitui-lo logo no início do jogo. Ao intervalo perdemos o Ferreira, que apanhou uma amigdalite com os ares condicionados do avião e se sentiu mal ao intervalo. O calor a que também não estamos habituados dificultou-nos um pouco a missão.

No último quarto de hora, voltámos a estar por cima do jogo e conseguimos uma vitória importantíssima para o clube e para todos nós. Estamos todos de parabéns. O valor desta vitória tem um sabor acrescido porque foi contra uma grande equipa».

Manuel Machado, treinador do Nacional:

«Estava à espera deste resultado, porque o futebol tem sempre três resultados possíveis e este é um deles. Não posso deixar de começar por dar os parabéns ao Paços de Ferreira e desejar-lhes as melhores felicidades para o final a Taça. De facto, o jogo não nos correu bem. Demos dois golos de avanço, através de uma grande penalidade e através de um lançamento longo e uma finalização feliz, chegamos ao intervalo a perder 2-1, entramos muito bem no segundo tempo e conseguimos a igualdade. Acho que as equipas entraram um pouco em contenção, na medida em que um golo iria fazer a diferença. Acaba o Paços de Ferreira por ser um pouco mais feliz, na medida em que num lance confuso acaba por conseguir que o árbitro assinale um segundo penalty.»